Blog

blog

Não cometa estes 7 erros ao escolher carne no supermercado

Patinho, picanha, contrafilé, alcatra ou maminha? Essa dúvida sempre acompanha você? Realmente, escolher carne de maneira correta pode ser a grande dificuldade de muitas pessoas na hora de ir às compras.

É muito comum chegar ao supermercado e não ter ideia de qual tipo de corte é o melhor para preparar a receita pretendida. Isso ocorre pela enorme variedade de opções existentes no mercado. Para uma pessoa sem experiência no assunto é muito difícil fazer as escolhas certas.

Como queremos que opte sempre pelo melhor, resolvemos ajudar você a comprar o corte apropriado de carne. Por isso, continue a leitura do post e descubra os 7 erros que você não pode cometer! Veja só!

1. Não olhar bem a carne da bandeja

Escolher carne que fica na bandeja é uma forma prática e cômoda de ir às compras, pois não é preciso enfrentar aquelas filas enormes. Mas é necessário ter muito cuidado para não optar por uma peça ruim para a sua receita.

Assim, para não haver erro é importante que observe bem o produto que vai adquirir. É preciso analisar se a embalagem está com um aspecto melado, por exemplo. Se isso ocorrer, é bem provável que a carne tenha passado por alteração de temperatura. Logo, escolha outra peça.

Também não leve para casa bandejas que estejam com etiquetas apagadas, o que pode significar que o produto é velho. Além disso, dispense aqueles peças cortadas bem pequenas, pois pode haver diferentes tipos de carnes na mesma embalagem.

2. Não analisar a gordura

Uma gordurinha é indispensável dependendo do prato que pretende fazer, porque é ela a responsável pela suculência da peça — é o que ocorre na picanha para o churrasco, por exemplo. Mas para não cometer erros é preciso ser criterioso e analisar bem a gordura.

Dessa forma, se ela estiver amarelada, saiba que é de um animal mais velho. Por outro lado, se for mais branquinha, a peça é de um abate novo. Fique atento a esse detalhe, pois ele também interfere na maciez da carne.

Mais uma dica: fique de olho no sebo! Ele é esbranquiçado, mas não tem uma consistência firme como a gordura. Assim, você pode pedir para o açougueiro retirá-lo ou escolher outra peça.

3. Escolher qualquer tipo de corte

Imagine ficar dias pensando em fazer um prato delicioso para a família e para os amigos ou um churrasco e no dia marcado você compra qualquer tipo de carne? A chance de não dar certo é enorme, concorda?

Por isso, verifique qual o tipo de corte ideal e sempre procure um açougueiro da sua confiança para tirar as possíveis dúvidas. Para ajudar, vamos listar algumas carnes e qual a forma de preparo mais recomendada. Veja só!

  • Picanha: perfeita para fazer deliciosos churrascos;

  • Bisteca: ideal para assar, grelhar ou fritar;

  • Contrafilé: muito bom para cortes de bife;

  • Alcatra: pode ser usada tanto para churrasco, quanto para fazer bife refogado ou assado;

  • Filé-mignon: excelente para estrogonofe, rosbife e medalhão;

  • Costela: ótima para churrasco e para fazer cozido.

4. Errar na quantidade

Vai fazer um churrasco ou alguma receita que leve carne? Saiba que é indispensável ter ciência de quantas pessoas vão saborear as suas delícias. O ideal é que você não compre em excesso e nem em pequena quantidade. Mantenha o equilíbrio e o bom senso!

Quando for fazer o seu planejamento, lembre-se de que há convidado que come pouco, mas, em compensação, sempre existe alguém que se alimenta por dois. Pensando nisso, o cálculo ideal é comprar cerca de 220g a 250g de carne por pessoa.

5. Não verificar a data de validade

Outro erro muito comum e que pode comprometer toda a sua receita é não olhar a data de validade do produto. Além de deixar o prato com um sabor péssimo, isso traz prejuízos para a sua saúde e a de seus convidados.

Essa informação deve estar presente na etiqueta da carne. É preciso analisar também a data de produção, a qual se refere ao dia que o produto foi embalado e não ao de abate. Por isso, se passou mais de dois dias, não compre o corte.

6. Não olhar bem a coloração e o frescor

Assim como não verificar a validade, não olhar a coloração e o frescor da peça é outro erro inadmissível e que coloca sua receita ou o seu churrasco a perder. Afinal, é a cor que vai indicar se o produto estava ou não bem armazenado.

A pigmentação também mostra se o abate foi feito de forma higiênica ou se o animal foi submetido a uma situação de estresse. Tudo isso interfere na qualidade e no sabor do alimento.

Dessa forma, apenas compre o corte se ele estiver com um tom vermelho cereja ou vermelho brilhante. Caso perceba algum pontinho marrom ou mais escurecido, não o leve para casa.

7. Ignorar as informações da etiqueta

As informações constantes nas etiquetas trazem muitas coisas que você precisa saber sobre o produto. Então não tenha preguiça de ler o que está escrito, tudo bem?

Alguns dados importantes que você precisa ficar atento são: data de produção, data de validade, informações nutricionais, informações da indústria (nome, endereço e CNPJ), além do selo de inspeção que pode ser federal, estadual ou municipal.

Descubra onde escolher carne da melhor qualidade

A dica mais importante para escolher o melhor corte vem agora: saber o local que você deve comprá-lo. Não adianta nada você seguir as dicas mostradas acima, mas fazer as compras em um supermercado que não tem o cuidado de armazenar corretamente o produto.

Por isso, prefira adquirir carnes no Sales Supermercados, uma empresa que tem um rigoroso controle de qualidade, pois se preocupa em escolher os melhores fornecedores e investe em sistemas modernos de conservação e refrigeração.

Agora que você já sabe como escolher carnes, não cometa mais os velhos erros! Compre sempre produtos de qualidade, que não estejam fora do prazo de validade e que tenham um bom aspecto. Lembre-se também do mais importante: adquira uma peça em um supermercado que cuida do produto, de você e de sua família.

Ainda tem dúvidas de qual corte é ideal para a sua receita? Então entre em contato conosco! É sempre um prazer ajudar você a fazer as melhores escolhas.

15

07